The Descent (2005)

Um grupo unido de amigas, nunca mais foi o mesmo desde que uma delas perdeu a filha e o marido num acidente de carro. Um ano depois, e como uma tentativa de recuperar essa união e amizade, uma das amigas organiza uma aventura radical. Explorar uma caverna.

As meninas juntam-se todas e, apesar de haver alguma tensão no grupo, a exploração começa mesmo. No entanto, numa de loucura, uma delas tem uma ideia melhor e manda as suas amigas para uma caverna nunca antes explorada. O que as espera lá em baixo, não é nada agradável…

Um trunfo deste filme é o cuidado que Neil Marshall deu às personagens. A parte inicial, por exemplo, é bastante importante para ficarmos a conhecer um pouco mais de cada uma das 6 amigas. Existe a irresponsável e radical, a profissional, a traumatizada, etc. Vamos chamar a essa parte a apresentação. Existem pormenores e frases que servem os propósitos do filme mais para a frente, por isso convém estar atento ao que se passa no ecrã. Uma vez na caverna, as coisas começam a aquecer aos poucos.

Primeiro temos ambientes claustrofóbicos. As partes em que as amigas atravessam as passagens entre as grutas, são verdadeiramente sufocantes. Acreditem que em algumas partes vão dar por vocês a suster a respiração, á medida que elas vão rastejando pelas passagens. A ausência de luz, a tensão que vai aumentar no grupo quando as nossas meninas se virem apertadas e sem saída e os ambientes fechados, são muito bem trabalhados. Esta segunda parte chamamos de claustrofobia.

Já com problemas de sobra, as amigas ainda vão ter que contar com a presença de alguém que conhece muito bem aquelas cavernas. E as criaturas que habitam por lá não são nada simpáticas. Devo dizer que desde o primeiro encontro até ao fim, vai ser gore nonstop. Mas o mais fantástico, é a transformação que vai acontecer nas nossas personagens a partir do momento em que o que interessa mesmo é sobreviver. Nesta parte, a minha preferida, achei fantástica a inclusão das cenas filmadas através dos infra vermelhos da câmara. Um pormenor delicioso.

A Descida é um filme que aconselho vivamente. Não é para todos, é certo. A violência e o gore pode ser de difícil digestão para algumas pessoas. Mas podem ter a certeza que não se trata de um filme de terror para adolescentes. A realização soberba e claustrofóbica e a fotografia que aproveita inteligentemente o escuro e os seus efeitos, o argumento bem escrito e com grande ênfase nas personagens, assim como um final extremamente original tornam esta fita numa das melhores de 2005.

A Descida de Neil Marshall

trailer imdb

8/10

Autor: Ricardo JM Vieira

Tenho a mania das artes e acho que o sentido de humor é das melhores coisas inventadas pela humanidade. Eu, pelo menos, gostava de ter.

8 thoughts on “The Descent (2005)”

  1. Quando vi este filme ia mesmo numa de “oh valha-me deus lá vem outro daqueles filmes de terror parvos, sem graça nenhuma que se serve da juventude para oferecer um banquete de sangue inconsequente”… no entanto, com o passar dos minutos fui ficando completamente vidrada! sem duvida um revolucionario, dada a decadente situação do terror actualmente.

    sempre interessante, com uns sustos à maneira, e um ambiente muuuito claustrofobico. é de se ficar estafado depois de ver aquilo😉

    Gostar

  2. É realmente um filme acima da média no que ao terror diz respeito. E “claustrofóbico” é a palavra que me surge para o descrever!

    Gostar

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s