Annihilation: onde está a Área X?

Como filme "independente" está bom. Como adaptação do livro bastante fraco. Eu detesto comparar adaptações, mas senti-me extremamente desiludido pela opções que Garland tomou. O filme tem os seus momentos, é verdade. Alguns deles particularmente perturbadores e visualmente espectaculares, mas falta ali muita substância, muita metafísica, muita introspecção, muita estranheza e, por mais incrível que … Continue a ler Annihilation: onde está a Área X?

The Babysitter: mastiga e deita fora

Desde o início que The Babysitter não tem problemas em mostrar o que pretende transmitir: pouca complexidade, muito exagero e nonsense, boas doses de piadas adolescentes e muita tensão sexual no ar. Na verdade, acho que o público alvo deste filme é mesmo os adolescentes com menos de 16 anos embora o filme seja para … Continue a ler The Babysitter: mastiga e deita fora

Rogue One: a rebelião baseada na esperança

A minha relação com Star Wars é semelhante a um encolher de ombros. Talvez tenha chegado demasiado tarde ao franchise mas, como expliquei aqui mais detalhadamente, a força não está comigo. De qualquer maneira, sinto quase sempre curiosidade em ver um novo filme da saga e nem sei bem porquê. Talvez seja a minha mente … Continue a ler Rogue One: a rebelião baseada na esperança

It: eu gostava de ter flutuado

Este filme começa muito bem: boa atmosfera, boa cinematografia, uma criança que cativa quem está a ver e um encontro terrífico que ela tem com um palhaço. Os diálogos são bons e existe uma sensação genuína de terror e suspense elevada ao máximo com os trejeitos e voz ameaçadora do vilão do filme. Não estava … Continue a ler It: eu gostava de ter flutuado

The Mummy: o início, ou talvez o fim de uma nova saga

Ao que parece a Universal pretende trazer para o grande ecrã diversos monstros clássicos e fazer, à semelhança da Marvel e da DC, um conjunto de filmes interligados entre si com personagens que transitam de um filme para o outro à medida que vão sendo adicionadas novas.. O primeiro filme desta nova saga foi The … Continue a ler The Mummy: o início, ou talvez o fim de uma nova saga

Split: heróis e vilões de Shyamalan

Shyamalan é um dos meus realizadores preferidos. Apesar de ter tido uns percalços pelo caminho, nomeadamente com After Earth, The Happening e The Last Airbender, sempre mantive a minha confiança no indiano. Quando está no topo da sua forma a forma como movimenta a camâra, como conta as suas histórias e como dirige os atores … Continue a ler Split: heróis e vilões de Shyamalan

Guardians Of The Galaxy Vol. 2

O primeiro filme surpreendeu-me pela positiva. Não estava à espera de me divertir tanto com árvores e guaxinins falantes, confesso. Mas foi o que aconteceu e a minha expectativa para a continuação estava em alta. O que eu não queria era que James Gunn se pusesse a inventar. Apenas que mantivesse o mesmo tom despreocupado … Continue a ler Guardians Of The Galaxy Vol. 2

Ghost In The Shell (2017)

Sou um grande fã da animação japonesa. Não sei até que ponto a adaptação de Mamoru Oshii foi fiel ao manga original, mas gostei imenso de Ghost In The Shell. Achei a história muito interessante, com personagens cativantes e a banda sonora muito, muito boa Esta incursão por Hollywood, com Rupert Sanders ao leme e … Continue a ler Ghost In The Shell (2017)

Alien: Covenant

Ridley Scott esqueceu-se completamente do que fez Alien ser um dos clássicos do cinema! Alien era simples na premissa. Um monstro desconhecido começa a dizimar a tripulação de uma nave que vagueia pela vastidão do espaço. Ridley não precisou de explicar as origens do monstro negro. O mistério tornou tudo ainda mais interessante e, principalmente, … Continue a ler Alien: Covenant