X-Men: First Class (2011)

Confesso que nunca dei demasiada atenção á saga X-Men. Vi, ainda que sem a atenção devida, o primeiro filme e algumas partes do segundo (ambos da autoria de Bryan Singer), e talvez por isso tenha adiado a visualização deste X-Men: First Class.

Agora percebo que a adiei por demasiado tempo, e que talvez tenha que dar uma oportunidade aos filmes de Bryan Singer (aliás já o deveria ter feito, pois gostei imenso do Superman Returns).

A prequela, onde é explicada a origem da rivalidade entre o Magneto e Charles Xavier (entre diversas outras coisas), ao mesmo tempo que decorre uma batalha furiosa pela preservação da espécie humana, conseguiu agradar-me de uma maneira que, muito sinceramente, não estava á espera.

Verdade seja dita: é sempre ótimo ser surpreendido pela positiva!

Como é normal em prequelas, a maioria das pessoas já sabe o rumo, ou melhor, sabe como irá acabar a história. Aqui, para quem viu os outros filmes, ou então para quem conhece minimamente o universo X-Men, sabe que Charles Xavier vai acabar por ficar numa cadeira de rodas, sabe que Erik Lehnsherr (Magneto) vai acabar por ficar contra a espécie humana ou que a Mystique irá juntar-se á sua causa.

O que interessa aqui é a forma como isso acontece. De que maneira, quais as motivações que levaram ás escolhas de alguns X-Man. E essa viagem é muito agradável. Os minutos finais do filme são deveras emocionais e realistas e encerram com chave de ouro o filme. Muito bem!

Existe também aqui um vilão, aham, um senhor vilão que pode-se considerar como o mentor de Magneto. Não é que ele tenha treinado ou ensinado arduamente Magneto, mas foi através das suas ações que o mutante ganhou força. Charles Xavier também o fez, mas Sebastian Shaw, motivou Magneto durante toda a sua vida e acho que se ele não tivesse feito o que fez, teriam sido aliados.

E isso seria muito mau para a humanidade e para a equipa de Xavier. Oh, se seria!

De qualquer maneira, a ascensão de Magneto como vilão central da saga foi muito bem orquestrada. Apesar de estar contra a espécie humana, compreendem-se perfeitamente as suas ações. No final de contas, é evolução. E normalmente só há espaço para uma espécie reinar…

Excelente, excelente também foi a a utilização de fatos históricos na trama do filme. A crise dos mísseis de Cuba (que quase levaram o mundo a uma 3º guerra mundial), deram credibilidade ao filme e tornaram tudo mais interessante de se acompanhar.

Outros pormenores como a utilização das línguas respetivas dos países (espanhol, russo, alemão), ajudaram á festa. No cômputo geral, o argumento do filme está bastante bom.

O elenco esteve quase todo ele muito bem. O destaque vai claramente para o trio Charles Xavier, Erik Lehnsherr e Sebastian Shaw, com atuações, respetivamente de James McAvoy, Michael Fassbender e Kevin Bacon. Fassbender e Bacon cativam de tal forma que não é fácil descolar do ecrã quando eles surgem.

Depois temos efeitos especiais de ponta, utilizados em sequências de ação brutais; banda sonora bem esgalhada e uma grande realização de Matthew Vaughn (Kick-Ass, Stardust).

Desconheço grande parte deste Universo (pois, eu só lia banda-desenhada da Disney quando era puto), pelo que não sei se esta adaptação segue os acontecimentos da BD. No entanto, achei uma grande prequela. Grandiosa mesmo. Daquelas que dá vontade de ver logo uma sequela e conhecer melhor estas personagens da Marvel.

São 130 minutos que passam bem depressa, acreditem. Well done!

Erik Lehnsherr: Us turning on each other, it’s what they want. I tired to warn you, Charles. I want you by my side. We’re brothers, you and I. All of together, protecting each other. We want the same thing.
Professor Charles Xavier: My friend. I’m sorry, but we do not.

imdb trailer

8/10

[themoviedb] [themoviedb] [imdb]

4 thoughts on “X-Men: First Class (2011)

  1. O quanto concordamos desta vez! Tanta coisa… até mesmo na classificação!
    Muito boa a tua critica!

    “Em suma, é um grande filme. Tudo bem feito, cativante, inteligente a saber ao longo do processo expor as personagens e as suas motivações de uma maneira que serve a narrativa (e não uma mera psique de pacotilha), sabe prestar homenagem ao trabalho já feito e em especial ao de Bryan Singer (que só prova o valor que teve na sua adaptação).
    É um bom filme do género, dos melhores com os X-Men, que na minha apreciação em termos de valor e qualidade, o coloco até entre o X1 e o X2 (este é uma obra-prima).
    Vê-se com gosto e até soube a pouco as duas horas de filme.
    Por isso, repetir a dose é uma boa solução…”
    mais em: http://armpauloferreira.blogspot.com/2011/07/cine-critica-x-men-first-class-2011.html

    Ainda há poucas semanas o revi… (já nem sei se foi a sexta vez ou sétima) a este e à trilogia (só não revi o do Wolverine). Se vires seguido o 1 e 2 (e até mesmo o 3 – esse é inferior mas é divertido de ver mesmo assim), vais ver que a saga tem muito sumo nos sub-textos subliminares (tal como o Superman Returns tem).
    Well done!

    Gostar

    1. Obrigado, Armindo! Por acaso, após ter escrito isto, fui ao ecos imprevistos ver se tinhas feito crítica ao filme e realmente concordamos em muitos pontos. 🙂

      Já reveste tantas vezes! Jesus! Vou tentar ver os 2 primeiros seguidos o mais rapidamente possível, enquanto este ainda está fresquinho.

      Gostar

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s