É preciso comentar mais!

Aqui há uns dias surgiu na web uma discussão acerca da validade e importância dos comentários nos blogues.

A discussão, saudável diga-se, começou após Matt Gemmel ter decidido retirar a funcionalidade do seu blogue, criando um artigo onde explicou as suas razões. As repercussões surgiram em vários blogues, uns apoiando Gemmel, outros fazendo o oposto.

Apesar de existirem alguns bloggers notáveis que optam por não terem comentários, pessoalmente ainda penso que eles valem a pena.

Sim, a fragmentação hoje é muita, especialmente se estendermos os nossos artigos ás redes sociais. São likes no facebook, +1 no Google Plus e até retweets no Twitter. Os comentários, outrora extremamente populares – até porque não existiam as redes sociais, ou não estariam na moda – têm cada vez menos espaço, e são em menor quantidade.

Mas não é por isso mesmo que devam ser menos importantes. O meu humilde espaço é uma pequena gota num imenso oceano, mas vejo cada intervenção de quem lê como algo enriquecedor. Para além de tornar as coisas menos solitárias. 🙂

Até fico um pouco aborrecido quando alguém comenta através do Facebook ou do Google Plus um artigo meu. Não sei, sou blogger há demasiado tempo para achar que as redes sociais são substitutos deste modo de partilha de informações, e prefiro, de longe, que venham até á “minha casa” deixar a sua opinião; não nos anexos.

Mas compreendo e percebo perfeitamente quando alguém faz um like ou não comenta. Nesse aspeto sou igual, pois não comento com a frequência que o deveria fazer.

Mas deveríamos fazê-lo! No final de contas, estamos a dizer a quem escreveu, que de fato lemos o texto e não apenas a introdução, para depois fazer like apenas porque sentimos empatia pelo tema.

Funciona até como recompensa para nós bloggers, que muitas vezes dedicamos horas de pesquisa para entregarmos informação de boa qualidade á distância de um clique.

Pode ser que daqui a uns tempos descubram o Santo Graal dos comentários, ou seja, que descubram uma forma de condensar, conectar e sincronizar todo o feedback (venha ele do blogue ou das redes sociais), no blogue.

Claro que a minha experiência não será tão dramática como a daqueles que recebem milhares de visitas por dia e que têm de lidar com dezenas de comentários. Mas penso que se fosse, mesmo assim daria a oportunidade a quem lesse os artigos de os comentar.

Como Josh Constiine do TechCrunch disse:

Comments keep bloggers humble, honest, accurate, and in touch with their audience. Personally, I enjoy debating with people who think I’m wrong, as long as they’re civil. I really value my commenters and often update my articles with thoughts they’ve inspired or corrections they’ve cited.

fonte da imagem: orkut buddy

Autor: Ricardo JM Vieira

Tenho a mania das artes e acho que o sentido de humor é das melhores coisas inventadas pela humanidade. Eu, pelo menos, gostava de ter.

20 thoughts on “É preciso comentar mais!”

  1. Ora aqui está um artigo muito lúcido e oportuno, Ricardo.
    Nota-se bem que não está escrito á sorte, que foi bem refletido este teu desabafo.
    Como imaginas concordo plenamente.
    Durante tempos resisti a aderir ao Twitter e ao Facebook mas a verdade é que ou acompanhamos as tendências ou ficamos obsoletos.

    A arte de comentar ou participar nos posts… perdeu-se! É um facto e temos de saber lidar com isso.

    Contudo, se gostamos de ser comentados, será que somos recíprocos?
    Pois…
    Os bloggers deveriam ser os primeiros a comentar os artigos dos outros blogs. Até porque podem dar contributos que podem inspirar igualmente, não só a leitura como também a própria participação de quem lê (isso faz comentar).
    O problema é que uma boa fatia de bloggers vive para o seu “negócio” e vê o resto como concorrência.
    Neste aspecto também acrescento outra vertente curiosa: as redes sociais mostram mais que os blogs exibem. Principalmente a nível da percepção de personalidade e como se relacionam, reagem, etc. Há bons bloggers, que os estimamos pelos artigos e depois no Facebook percebemos que como pessoas não valem a estima que lhes tínhamos.

    Eu diria que o Facebook, destruiu o conceito de blogger para apenas interessar que estes façam “conteúdos”, que se querem sintetizados e imediatos. Não é à toa que o 9Gag é um sucesso…
    O Facebook transformou-se numa espécie de leitor de RSS, onde apenas nos interessa o titulo e a imagem que a acompanha. O mesmo piora quando se está em grupos de facebook, onde um artigo serve de mero pretexto para o acessório mediático e não para reflectir o que o blogger disse ou opinou.

    Há também, que ponderar que existem gerações diferentes de bloggers: o old-school e o moderno. Normalmente é o mais moderno quem tem mais expectativas de sucesso nas massas.
    Não sei mas com o tempo, o conceito de rede social, deixou de significar actualizar um blogue mas sim fazer likes e mandar bocas, bitaites, lol, e um sem fim de frases estilizadas que tanto se usam no Fb. Digo que o Google+ foi positivo para o meu blog… notei que desde que passei a usar os meus artigos que mais leitores tenho diariamente. Digo que sem publicar nada mantenho as cerca de 500 visitas diárias (os motores de pesquisa devem achar que tenho muita coisa de jeito…) e se publicar algo melhor que o costume ultrapassa muito essa marca.

    Para não me alongar, demasiado (até porque sei que quando um comentário é grande as pessoas desistem e fogem vomitando logo pelos olhos), digo que concordo mais uma vez com o Ricardo. Que ele até deixou uma frase que facilmente a faria minha (essa do “Santo Graal dos comentários por todas as redes irem ter ao blog – quem nos dera!).
    Em relação ao este blog… eu até tenho comentado… não muito mas faço por vir aqui e dizer-lhe o que acho… até porque é um blogger espectacular para falar de cinema: é civilizado e compreensivo, o que se vai tornando raro ver por aí.

    Gostar

    1. Muito obrigado pelo comentário, Armindo!

      Concordo a 100% com o que dizes, especialmente quando mencionas o fato de através das redes sociais percebermos um pouco mais da personalidade de alguns bloggers que estimamos; e também entre a diferença, na generalidade, do blogger old-school e moderno.

      Quanto a nós comentarmos mais, penso que será mesmo um problema. Mais vale escolhermos alguns blogues, e isto no mínimo, e comentá-los regularmente.

      Lá está, tu comentas aqui de vez em quando, mas eu pouco o faço no excelente Ecos Imprevistos (apesar de visitá-lo regularmente). Terei que mudar!

      Gostar

  2. Obviamente que como blogger sou da mesma opinião. E, exatamente por sentir exatamente essa mesma falta, a dos comentários, muitas vezes peço diretamente nos artigos para comentarem e até costumo dizer uma frase que não me canso de dizer:

    “Os comentários são o combustível dos bloggers”.

    E basicamente é isso mesmo! Quantos mais comentários vemos, mais vontade temos de escrever! E garanto-vos que depois de 3 anos de blogger ativo, tenho alguma experiência nesse sentimento!

    Já agora, para finalizar o meu pequeno comentário (sim porque isto dá mesmo muito que falar), como forma de exatamente tentar persuadir os meus leitores a escreverem, normalmente escrevo também na concorrência e nos sites que gosto, nomeadamente este! Através disso, depois certos blogger querem ser recíprocos e então cria-se ligações, amizades e movimentos nos nossos blogs!

    Acima de tudo comentem também, depois garanto-vos que a reciprocidade é algo que vem como consequência!

    Abraços a todos

    Gostar

    1. Também está muito bem falado, Claudio!
      Para muitos o que também disse podem ser dicas… mas eu sigo isso há anos.
      Concordo pois pratico o hábito de comentar os outros blogs e tento ser assíduo.

      Gostar

    1. Pois, a preguicite aguda afecta-nos várias vezes. Sem falar que muita gente já quase nem sai do Facebook ou do Google Reader, lendo os artigo aí, ou então clicando nos malditos (ou menos maus) Gosto.

      Gostar

      1. Prefiro 1000 vezes que leiam os meus posts no google reader do que no facebook. O reader ainda obriga a uma atitude activa do leitor em procurar determinado conteúdo, enquanto que no facebook somos alimentados com muito pouco controlo sobre aquilo que nos entra mural adentro.

        Gostar

  3. Ora aí está uma bela verdade. O Facebook veio matar isto tudo. E, tal como tu, confesso que por vezes caio nesse facilitismo. Até porque nós, bloggers, temos vindo a canalizar muito do nosso armamento para as redes sociais. Redes sociais, quem estou a querer enganar, o Facebook…
    Uma coisa que me irrita mesmo muito é quando coloco um link para um novo artigo no cinemaxunga e passados 4 segundos aparecem likes de pessoas que não tinham tempo para o ler, mesmo que fossem super-rápidos. Irritar é um termo forte, mas fico frustado enquanto blogger e enquanto pessoa que compreende que já ninguém quer ler coisas com mais de 160 caracteres porque “dá seca”.
    Outra irritação é o facto deixar que o facebook me tire mais de metade do tempo que tenho disponível para escrever posts no blog.

    Gostar

  4. Ora, aqui concordo em absoluto contigo! Com o aparecimento das redes sociais, vimos o número de comentários a decrescer, mas não o número de visitantes! Ora, eu tenho pena que isso aconteça! Assim, confesso que nunca sei se o trabalho está a ter algum efeito nas pessoas que o lêem! Mas é fruto dos tempos e temos de o aceitar!

    Gostar

  5. Assino… berro… porque concordo com cada linha deste artigo.

    Aliás, tira-me um pouco a “pica” ter tantas visitas diárias (quase sempre entre 100-200 visitas) e não ter qualquer comentário. Já ponderei várias coisas: colocar os links para outros sites a abrir em novas Abas (para, ao fecharem o link, voltarem ao meu artigo) ; mudar o template do blogue (em cores… e, ao invés de ter o artigo todo disponível para leitura, fazer com que o leitor tenha que clicar no “Ler Mais”)…
    E acho que é para este passo (último que me vou virar, apesar de não gostar muito).

    Outro exemplo, é o de hoje…
    Logo de manhã, tinha 46 visitas. À hora de almoço, tinha 400 visitas (sim, 400 visitas!!!!!)… e, a esta hora, tenho quase 600!!!
    E comentários? 1!!! Um, apenas!

    Sem dúvida, portanto, que é preciso comentar.
    Fico impressionado com o Pplware, que tem sempre carradas de comentários… um dia quero ter o meu blogue assim… só a metade. 😛 lol

    Gostar

    1. Viva!

      Acho que também é preciso ter alguma sorte, pois existem imensos blogues tão bons quanto (ou melhores) que o Pplware, e têm pouco “sucesso. Se tivermos a sorte de encaixar malta que comente assiduamente, mais se irão juntar aos poucos. Um efeito tipo bola de neve.

      ps: se me permites sugiro que mudes o tema do teu blogue, pois acho que fica confuso na maneira como apresenta os artigos. 🙂

      Gostar

      1. Sem dúvida, embora o efeito bola de neve seja um pouco complicado porque no Facebook as coisas estragam-se… comenta tudo lá, partilham tudo lá, fazem os ditos “Gosto”… e pronto, resume-se a isto.

        PS:
        Em relação ao template, ainda bem que o dizes… estava a testar por algum tempo, porque os artigos ficam “mais à vista”, mas realmente, ficam um pouco ao molho. 😛
        Portanto… vou mesmo mudar. 😀

        Gostar

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s