Axiom Verge: alterar a realidade

Um cientista morre num acidente apenas para acordar num estranho mundo alienígena onde, aparentemente, a realidade consegue ser alterada de formas misteriosas. Nós somos esse cientista e vamos acompanhá-lo por um mundo estranho e fascinante, tentando perceber porque razão lá estamos e como fomos lá parar.

Vida? Vida depois da morte? Real? Virtual? Sonho? Pesadelo? O que raio está a acontecer?

Axiom Verge é um jogo fantástico. Estilo visual em pixel art lindo – como se H.R. Giger decidisse criar aliens em pixel art –  com cenários envolventes e criaturas estranhas que impressionam pela atenção ao detalhe e uma banda sonora com um estilo electrónico que acentua toda a solidão que se sente à medida que explorámos aquele mundo sombrio, mas incrivelmente magnético.

O jogo é um metroidvania com uma forma de jogar bem precisa e, embora tenhamos de percorrer algumas zonas mais do que uma vez, a forma como o fazemos por vezes varia. Existe muita exploração para se fazer em Axiom Verge, muitos upgrades para se procurar e quando essa tarefa parece estar a tornar-se um pouco repetitiva, eis que descobrimos uma nova parte do mundo alienígena que Thomas Happ criou e ficamos espantados.

A apresentação de Axiom Verge é absolutamente cativante.

Um dos melhores jogos disponíveis para a Nintendo Switch.

Top 5 – Jogos Nintendo Switch de 2017

Este ano comecei a falar aqui no estaminé um pouco acerca dos jogos que vou comprando para a minha Nintendo Switch. Ainda me falta escrever acerca de alguns jogos que entretanto já comprei, mas como o ano acaba hoje não posso esperar mais tempo.

Vão faltar muitos jogos aqui, eu sei, mas fica já o aviso que a minha biblioteca está a ser preenchida por jogos first party Nintendo e Indies. Para já, pelo menos.

1 – The Legend Of Zelda Breath Of The Wild

A Nintendo não teve medo de arriscar e trouxe Zelda de volta para o trono, no melhor jogo de mundo aberto deste ano. A aventura a jogar.

2 – Super Mario Odyssey

Talvez o melhor Super Mario em 3D de sempre. Não é tão revolucionário como o 64 foi, mas é divertídissimo e com um nível de polimento absolutamente fantástico.

3 – Sonic Mania

Um presente da SEGA dos fãs para os fãs. Quem achar que os clássicos da Mega Drive são os melhores jogos Sonic, tem aqui o pináculo.

4 – Shovel Knight – Treasure Trove

Plataformas retro entregues por quem percebe perfeitamente o que significavam na saudosa era dos 8 bits.

5 – Axiom Verge

Um metroidvania fantástico, desafiante, com visuais espectaculares, banda sonora catchy e diversos pormenores originais na jogabilidade.