Ondas gravitacionais? Sim, existem.

Albert Einstein, na sua teoria da relatividade, previu as ondas gravitacionais há 100 anos atrás.

A previsão passou a realidade, pois cientistas detetaram, diretamente essas ondas.

É uma descoberta fascinante e mais uma pequena ajuda para o estudo e compreensão do Universo.

Tal como à nossa escala a queda de um seixo num lago produz ondinhas que deformam a superfície da água, as ondas gravitacionais deformam o “tecido” do espaço-tempo – e, por conseguinte, os objectos que atravessam –, ao propagarem-se pelo Universo à velocidade da luz. – Público

Essas ondas (ainda) não se podem ver, mas podem-se ouvir.

A poesia do Universo, em 25 imagens

opo0328a1

O Marco Santos, autor de um dos melhores blogues de língua portuguesa, o Bitaites, criou um artigo em celebração aos 25 anos do telescópio Hubble.

Reuniu 25 imagens capturadas pela suas lentes, que nos levam numa viagem até aos confins do Universo. Uma viagem extraordinária! Façam uma visita, clicando aqui, e vejam por vocês mesmos. Vale a pena.

A super Lua de Agosto de 2014

Thomas Kanady
Thomas Kanady

A super Lua ocorre quando o nosso satélite natural está no seu perigeu (ponto mais próximo da Terra durante a sua órbita) e na fase de lua cheia. Uma coincidência que aconteceu ontem, dia 10 de Agosto de 2014.

Dizem por aí que este fenómeno natural pode dar origem a lobisomens, macacos gigantes e outras criaturas que tais.

Também dizem por aí, que pode dar azo a observações fantásticas e a fotografias muito bonitas.

O site 500px está a promover um concurso com as melhores fotografias da super Lua. Eu antecipei-me, e selecionei algumas que considero serem as melhores publicadas até à data. De salientar que são fotografias amadoras.

Continue a ler “A super Lua de Agosto de 2014”

Somos demasiado pequenos, um pixel perdido

Calvin e Hobbes

Se as pessoas olhassem para as estrelas todas as noites, aposto que viveriam de forma muito diferente.
Porquê?
Bem, quando olhas para o infinito, apercebes-te que existem coisas mais importantes do que as pessoas fazem todo o dia.

Calvin e Hobbes

Nada como andar ocupado com as coisas mais triviais. Um jogo de futebol entre velhos rivais que é adiado, a indecisão relativamente ao que fazer com uma celebridade em espiral decrescente, o aniversário de uma rede social. Enfim, assuntos deveras fascinantes, que vão ocupando a minha, a vossa, a nossa existência.

A humanidade, na sua generalidade, é um conjunto de pessoas egocêntricas, com a mania das grandezas, que debate assuntos que pouco interessam, fervorosamente. A verdade é essa.

Continue a ler “Somos demasiado pequenos, um pixel perdido”

A escala do universo

Cary Huang fez uma espetacular animação em flash, onde mostra a extraordinária “escala” do Universo!

Já tinha falado aqui e colocado um vídeo acerca dos gigantes do Universo, mas isto é ainda mais elucidativo!

Cliquem aqui, e sigam numa viajem nada menos, nada mais, que espantosa! E lembrem-se que ainda só conhecemos uma pequeníssima parte do Universo!

Como diria Carl Sagan:

Who are we? We find that we live on an insignificant planet of a humdrum star lost in a galaxy tucked away in some forgotten corner of a universe in which there are far more galaxies than people.