O primeiro filme já me tinha desagradado um pouco pelo seu nível de irrealismo utilizado como sendo magia.

Este, no entanto, abusa e leva as coisas para um nível absurdo.

As magias e todo aquele espetáculo de luzes e purpurinas não funcionam, simplesmente porque existem ali momentos ridículos, o que leva a quem está a ver a sentir-se enganado.

A “magia” que se vê é digital, com CGI e computadores.

Pela lógica exibida (e alguma eles tentam disfarçar com paleio oportunista) eles podem fazer o que quiserem, como colocar dois dedos na testa para se transportarem instantaneamente para outro continente

Uma perda de tempo!

★★

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s