Quem são os “12 Monkeys”?

12 Monkeys

Uma série baseada no filme de Terry Gilliam parecia-me ser uma boa aposta após Mr. Robot. Lembro-me vagamente do filme, mas se a memória não me falha, a série mantém a mesma essência.

Temos, portanto, as viagens temporais de alguém que tenta evitar um futuro apocalíptico, onde um vírus foi responsável pela morte de biliões de pessoas. Muito resumidamente é isto, mas importa dizer que ao longo da série a história vai-se expandido e vai surgindo uma mitologia bem interessante e intrigante.

Já sei que me repito constantemente quando vejo um filme ou uma série sobre viagens no tempo, dizendo que os paradoxos temporais poderão ser um problema. Aliás, se pensarmos neles, os paradoxos serão sempre um problema.

E em 12 Monkeys, mesmo considerando todos os malabarismos e o munbo jumbo dos produtores em dissimular esses paradoxos, eles estão presentes. Todo o mindfuck presente não o dissimula.

No entanto, se nos abstrairmos disso, as viagens temporais podem proporcionar bons momentos e boas histórias. Existem diversos filmes com essa temática que foram bom entretenimento e que me mantiveram estimulado até ao fim.

Relativamente a esta série, admito que o meu interesse manteve-se até ao fim. Nem sempre da melhor maneira, devo dizer, mas estive suficientemente curioso para saber como a historia iria acabar.

Existem algumas coisas que não gostei, uma das quais tem a ver com a sensação de repetição que ia tendo.

Ás páginas tantas, começava a ficar farto de ver James Cole pensar que tinha acabado com a fonte do vírus, mas chegar ao futuro e perceber que tudo estava igual e, portanto, teria que regressar mais uma vez e tentar acabar outra vez com a fonte do vírus.

E falhava e fazia tudo outra vez.

Mas, o grande problema da série, foi o volte-face que teve um dos personagens quase no fim. Foi algo que mudou tudo na série e que poderia ter sido impactante, mas foi tão mal feito, que retirou todo esse impacto. Faltou um desenvolvimento mais sério dessa personagem, porque o que ele estava a fazer era por alguém que tinha conhecido 5 minutos antes!

Eu sei, o amor de pai é muito forte, mas eu não conhecia esse filho. Não tive nenhuma ligação, nenhum desenvolvimento emocional que era necessário para me envolver naquela mudança tão drástica de comportamento.

E assim, num repente, tudo soou-me a malabarismo barato. Fiquei extremamente desapontado, pois foi um momento fulcral para todos os acontecimentos, mas poderia, e deveria ter sido lidado de outra forma. Se o fosse, teria sido bem mais inteligente e eficaz.

Contudo, fiquei suficientemente intrigado pela mitologia de 12 Monkeys. Ficaram várias respostas por dar, inclusive à pergunta do título deste artigo, e o final foi suficientemente forte para manter-me interessado no que aí vem.

Acho, inclusive, que a primeira temporada é uma espécie de engodo para algo ainda maior que está para vir. Provavelmente irei ver a segunda temporada.

Autor: Ricardo JM Vieira

Tenho a mania das artes e acho que o sentido de humor é das melhores coisas inventadas pela humanidade. Eu, pelo menos, gostava de ter.

1 thought on “Quem são os “12 Monkeys”?”

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s