Interstellar (2014)

Interstellar

Tenho que dizer que me assustei quando vi que o filme demorava quase 3 horas. No entanto, e como o filme muito bem retrata, o tempo é relativo. E Interstellar nunca me pareceu demasiado longo e aborrecido.

Nem presunçoso e manipulativo, como, às vezes, parece ser o modus-operandi de Nolan.

História que tenta ser bigger than life, com alguns facilitismos questionáveis, mas que na essência foca-se em vários sentimentos humanos, como a esperança, o sentido de família, o abandono, o arrependimento, o amor e naquilo que os molda: o tempo.

Visuais assombrosos, banda sonora em perfeita sintonia com o que vemos no ecrã. Momentos intensos e de cortar a respiração. Uma tentativa audaz de replicar conceitos teóricos, misturando-os com a resiliência do ser humano.

Interstellar, é, aquilo que eu procuro quando vou a um cinema. Em toda a sua gloriosa imperfeição e ambição por vezes desmedida. Gostei imenso!

Autor: Ricardo JM Vieira

Tenho a mania das artes e acho que o sentido de humor é das melhores coisas inventadas pela humanidade. Eu, pelo menos, gostava de ter.

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s