Hercules (2014)

Hercules

Após uma pequena maratona de filmes de terror, decidi ver um filme mais tranquilo. O chamado brainless blockbuster, em que apenas e só, interessa o entretenimento.

Esperava, portanto, uma história bem simples, momentos furiosos de ação e muita descontração.

O filme escolhido foi Hercules, de Bret Ratner, com Dwayne Johnson (mais conhecido por The Rock) no principal papel.

Normalmente este tipo de filmes, que apregoam ser uma modernização da história clássica, contada de uma forma nunca antes vista, revelam ser uma bela caca. Já sabia, mais ou menos, ao que ia.

Mas, Hercules, até nem é uma bela caca. Por inteiro, pelo menos.

Claro que é o típico filme épico de Hollywood, mas tem alguns pormenores que o fazem ser um entretenimento suportável e razoável.

A história, de facto, tem algumas diferenças da lenda que todo nós conhecemos. Hércules é retratado com o filho de Zeus, com todo o poder que isso acarreta. Mas, esse “retrato” é ficção. Perpetuado e contado pelo seu sobrinho que vai espalhando e exagerando histórias, de feitos incríveis do seu tio.

Na verdade, o Hércules é um homem “normal”, que tem como profissão ser mercenário. Tem um passado trágico, acusado de ter assassinado a sua família, e nunca vemos o homem em lutas com seres mitológicos.

Quer dizer, o prólogo apresenta algumas lutas que ele teve com esses seres, mas lá está, é uma das muitas histórias contadas pelo sobrinho.

O único momento, verdadeiramente exagerado, é quando Hércules atira um cavalo pelo ar. Confesso que não gostei nada dessa cena, uma vez que até à altura, ele tinha sido retratado com outra seriedade.

A história tem, também, algumas reviravoltas. Umas melhores que outras, mas no geral não destoam e foram bem executadas.

Dwayne Johnson tem carisma no papel, não apenas pela sua imponente presença física, mas também pela forma como conduz a personalidade deste “novo” Hércules. Não vai ganhar nenhum Óscar, mas está bem no papel pedido.

O elenco secundário também satisfaz. John Hurt, Joseph Fiennes e Rufus Sewell com maior destaque. Achei engraçado o papel de Sewell.

Visualmente está bastante interessante também, com grandes batalhas no ecrã.

Resumindo e concluindo, Hercules é um blockbuster que vê bastante bem. Nunca passa do razoável, é certo, mas é um razoável muito aceitável. Tem um ou outro momento que se dispensava, mas se quiserem descontrair, podem tentar dar uma oportunidade ao filme.

Autor: Ricardo JM Vieira

Tenho a mania das artes e acho que o sentido de humor é das melhores coisas inventadas pela humanidade. Eu, pelo menos, gostava de ter.

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s