Thor: The Dark World (2013)

Thor The Dark World

A incursão de Thor pelo cinema não me cativou muito. O filme de 2011 pareceu-me ser demasiado “fogo de artifício” para pouco conteúdo. Não estava, por isso mesmo, com grande vontade em ver a sequela. Esperava por uma tarde de aborrecimento em que tivesse vontade de ver cinema “chiclete”. O típico filme que se vê e se esquece.

Quando essa tarde chegou, o aborrecimento era tal, que temia adormecer a meio do filme. Mesmo que o som de explosões e pancadaria ribombasse pelas colunas da televisão, como previa que fosse acontecer.

Não faltou barulho e pancadaria. Fogo de artifício bonito, como o anterior, mas de igual modo com pouco conteúdo. Ah, e não adormeci. Mas devo dizer que lutei para manter os olhos abertos.

Paira sobre todos nós, mais uma vez, uma terrível ameaça. Uma nova elite de inimigos, mais velhos que o Universo, está de regresso e com vontade de destruir tudo. Muito resumidamente, esta é a base da história deste filme. Nada de novo, por aqui.

Na verdade, nem se espera nada de muito original. A ideia também é ter-se uma viagem interessante, ou seja, a forma como as coisas são contadas é que torna tudo melhor… ou pior.

A viagem neste filme, apesar de ter os seus momentos, não cativa por aí além. O romance entre Thor e a humana Jane Foster continua a soar a falso (e o outro inserido lá para o final, como comic-relief, ainda pior). Malekith, o poderoso chefe dos Dark Elves e o grande vilão, é pouco carismático e memorável. Aliás, Kurse, a besta que parece levar tudo na frente, é bem melhor. Muito mais terrífico e capaz.

A mistura entre a ciência e a magia faz-me um pouquito de comichão. Eu sei, é um filme. Um universo criado e imaginado. Mas aqui não me parece que encaixe tudo perfeitamente.

É como se estivesse quase lá, faltando, no entanto, qualquer coisa. No fundo, é bom entretenimento. Visualmente está um espanto. Grandes cenas de ação e bons efeitos-especiais.

Chris Hemsworth nasceu para ser o Thor e Tom Hiddleston para ser Loki. Apesar de Hemsworth estar uns furos abaixo de Hiddleston e Natalie Portman estar em modo piloto automático com a sua Jane Foster, o elenco faz o suficiente com o argumento que lhes foi dado.

Mas depois falta-lhe mais intensidade, mais desenvolvimento nas personagens. Algumas incongruências e pontas soltas também chateiam, e o humor mal utilizado (algumas vezes, nem sempre) é deveras irritante.

É tudo muito sem sal. Muito meh. Falta-lhe um “danoninho”, para atingir o nível de outros filmes do género. Dá para ver. Mas lá está, come-se e deita-se fora.

Poster Thor The Dark World
★★★★★★☆☆☆☆

Some believe that before the universe, there was nothing. They’re wrong. There was darkness… and it has survived

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s