Thor: The Dark World (2013)

Thor The Dark World

A incursão de Thor pelo cinema não me cativou muito. O filme de 2011 pareceu-me ser demasiado “fogo de artifício” para pouco conteúdo. Não estava, por isso mesmo, com grande vontade em ver a sequela. Esperava por uma tarde de aborrecimento em que tivesse vontade de ver cinema “chiclete”. O típico filme que se vê e se esquece.

Quando essa tarde chegou, o aborrecimento era tal, que temia adormecer a meio do filme. Mesmo que o som de explosões e pancadaria ribombasse pelas colunas da televisão, como previa que fosse acontecer.

Não faltou barulho e pancadaria. Fogo de artifício bonito, como o anterior, mas de igual modo com pouco conteúdo. Ah, e não adormeci. Mas devo dizer que lutei para manter os olhos abertos.

Paira sobre todos nós, mais uma vez, uma terrível ameaça. Uma nova elite de inimigos, mais velhos que o Universo, está de regresso e com vontade de destruir tudo. Muito resumidamente, esta é a base da história deste filme. Nada de novo, por aqui.

Na verdade, nem se espera nada de muito original. A ideia também é ter-se uma viagem interessante, ou seja, a forma como as coisas são contadas é que torna tudo melhor… ou pior.

A viagem neste filme, apesar de ter os seus momentos, não cativa por aí além. O romance entre Thor e a humana Jane Foster continua a soar a falso (e o outro inserido lá para o final, como comic-relief, ainda pior). Malekith, o poderoso chefe dos Dark Elves e o grande vilão, é pouco carismático e memorável. Aliás, Kurse, a besta que parece levar tudo na frente, é bem melhor. Muito mais terrífico e capaz.

A mistura entre a ciência e a magia faz-me um pouquito de comichão. Eu sei, é um filme. Um universo criado e imaginado. Mas aqui não me parece que encaixe tudo perfeitamente.

É como se estivesse quase lá, faltando, no entanto, qualquer coisa. No fundo, é bom entretenimento. Visualmente está um espanto. Grandes cenas de ação e bons efeitos-especiais.

Chris Hemsworth nasceu para ser o Thor e Tom Hiddleston para ser Loki. Apesar de Hemsworth estar uns furos abaixo de Hiddleston e Natalie Portman estar em modo piloto automático com a sua Jane Foster, o elenco faz o suficiente com o argumento que lhes foi dado.

Mas depois falta-lhe mais intensidade, mais desenvolvimento nas personagens. Algumas incongruências e pontas soltas também chateiam, e o humor mal utilizado (algumas vezes, nem sempre) é deveras irritante.

É tudo muito sem sal. Muito meh. Falta-lhe um “danoninho”, para atingir o nível de outros filmes do género. Dá para ver. Mas lá está, come-se e deita-se fora.

Poster Thor The Dark World
★★★★★★☆☆☆☆

Some believe that before the universe, there was nothing. They’re wrong. There was darkness… and it has survived

Autor: Ricardo JM Vieira

Tenho a mania das artes e acho que o sentido de humor é das melhores coisas inventadas pela humanidade. Eu, pelo menos, gostava de ter.

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s