Humano, tu pertences-me!

Os gatos domésticos atuais são o resultado de muitos anos de evolução, que resultaram de (mas não só) do cruzamento entre diferentes espécies.

Esses cruzamentos tornaram-nos cada vez mais pequenos e menos agressivos com os humanos mas, ainda assim, estes animais são caracterizados por terem uma personalidade independente e serem menos confiáveis que, por exemplo, os cães.

Alguns comportamentos são comuns neles. Apesar de aparentemente inocentes, esses escondem um significado oculto que é, bem, um pouco maléfico.

MIAR PARA IMITAR UM BEBÉ HUMANO

Os gatos têm diversas formas de comunicar, mas o miar é a vocalização mais conhecida. Eles fazem-no quando têm fome (e andam sempre esfomeados, devo dizer), quando querem ser mimados, ou quando simplesmente fizeram asneiras e querem que limpemos os rastos deixados.

Que tal a minha imitação do bebé?
Que tal a minha imitação do bebé?

Os gatos conseguem miar de diversas maneiras e estudos comprovam que os seus donos conseguem identificar, através das diferentes formas de miar, se o seu gato está com fome.

Aliás, estudos mais aprofundados chegaram á conclusão que os gatos conseguem miar com frequências muito parecidas ás de um choro de um bébe humano. Para além de se tornarem bem irritantes com esse miar, ativam no subconsciente dos seus donos, um instinto de proteção.

Portanto, sem sabermos bem porquê, prestamos imediatamente atenção ao felino e sentimos uma necessidade de o ajudar a encher o seu estômago o mais rapidamente possível. Geniais, este malandrecos!

DEIXAR OS SEUS DEJETOS Á MOSTRA COMO SINAL DE CHEFIA

A maioria destes animais é conhecida por serem até bastante limpos. Basta uma caixa com areia, ou então deixá-los dar uma volta pelos campos, e eles lá tratam de fazer o seu servicinho sem incomodar ninguém.

No fim, quase todos, tapam. O “quase todos”, não é um engano, pois existem alguns chicos-espertos que não se dão ao trabalho de esconder o que fizeram e deixam belos presentes para toda a gente ver. Com azar, ainda têm que levar com aqueles que não se coíbem de fazer as coisas no corredor da casa, ou até na cama.

Mas que sorte a minha! Arranjei um gato que mais parece um porco.

Humano, limpa isso! Já!
Humano, limpa isso! Já!

A verdade é que isto também tem uma explicação. Os gatos tapam os seus dejetos para proteção contra inimigos. Eles agora não têm muitos, verdade seja dita, mas mesmo assim esse comportamento mantêm-se.

Os que não o tapam são verdadeiros badass!

Não o fazem, pois não temem nada nem ninguém. O território é deles e quem manda ali são eles. Portanto, pobre dono, resta arrumar e limpar o que eles fazem, caso contrário eles poderão levar isso como um insulto.

ROÇAR NAS PERNAS COMO SINAL DE POSSESSÃO

Eles fazem-no frequentemente. Roçam nas nossas pernas e nós pensamos que é em sinal de agradecimento por tomarmos tão bem conta deles. Ou então levamo-lo como uma espécie de abraço felino.

Tu és minha propriedade!
Tu és minha propriedade!

A verdade é que eles fazem isso, para dizerem que nós somos propriedade deles!

Os gatos também comunicam com a ajuda de feromonas e a maior parte delas estão localizadas na cauda, na parte lateral do corpo e na cabeça.

Portanto, quando eles roçam em nós, estão a deixar o seu odor único impregnado na nossa roupa (ou pele), para que todos os outros felinos saibam que nós somos sua propriedade.

IMITAR AS COBRAS PARA NOS INTIMIDAR

Pouca gente resiste ao apelo dos nossos gatos por mimos. O problema é que eles têm uma personalidade um pouco “esquizofrénica” e, após uma ou duas festas no pelo, rapidamente ficam irritados (sabe-se lá porquê).

Alguns ficam mesmo zangados e começam a lançar um miar proveniente das profundezas do

Estou-te a avisar humano!
Estou-te a avisar humano!

inferno. Como se isso não bastasse, o miar, por vezes, torna-se num silvo bastante agressivo.

Eles baixam as orelhas, soltam as suas unhas infernais e lançam silvos repletos de fúria.

Os gatos fazem isso propositadamente. Essa forma agressiva serve como imitação de um outro animal que é temido pela grande maioria dos animais: a cobra!

Portanto, quando eles estiverem a imitar uma cobra, o melhor que têm a fazer é pedir desculpa pelo que fizeram. É que essa é a última oportunidade que terão antes deles atacarem!

OBSESSÃO EM LIVRAR-SE DO CHEIRO DOS HUMANOS

Eh pá, os gatos são animais tão limpinhos, não são? Constantemente a lamberem o seu pêlo. Mas espera aí! A obsessão deles com a limpeza do seu pelo é mais evidente após terem entrado em contacto com os humanos.

Demasiado cheiro a humanos...
Demasiado cheiro a humanos…

Reparem se não é verdade. Façam umas festinhas e observem o seu comportamento. O mais certo é que o gato comece logo a lambuzar-se todo.

A verdade é que eles querem livrar-se do cheiro de quem lhe fez festas. Eles possuem glândulas que são estimuladas quando se lambem. Essas glândulas libertam o seu próprio odor e, por isso mesmo, eles lambem-se para cheirarem mais a eles próprios do que a quem lhe deu um miminho.

Parecido seria se uma criança fosse a correr tomar banho, sempre que a mãe ou o pai lhe desse um abraço. Esquisito, não é?

TRAZER PARA CASA ANIMAIS MORTOS PARA MOSTRAR QUE TU NÃO PRESTAS COMO CAÇADOR

Os gatos adoram matar. Sim, por detrás daquele ar fofinho, esconde-se um terrível assassino. De certeza que muitos de vocês já viram um gato a brincar com ratos, insetos ou pássaros enquanto estes estão a morrer. Uma brincadeira bastante mórbida, não é? Pois, os gatos são das poucas espécies que aparentemente matam por divertimento.

Existem alguns, até, que levam a sua presa morta ou moribunda, para dentro de casa, deixando-a

á beira dos seus donos humanos.

Ah, que engraçado esta espécie de presente macabro que o meu bichinho me trouxe. Gatinho, eu não tenho fome, mas obrigado.

Tenho que ensinar tudo a estes humanos?
Tenho que ensinar tudo a estes humanos?

Mas será que o felino levou o bicho como presente? Claro que não!

Os gatos ensinam os mais pequenos, ou aqueles com menos capacidades de caçador, a caçar, por lições. Esse animal morto, que parecia ser um presente, na realidade é a lição número 1.

Eles têm reparado que nós não somos grandes caçadores e que não conseguimos caçar a nossa própria comida. Portanto, decidem ajudar-nos. Então, resta-nos aceitar o presente, comendo-o e preparando-nos para a lição número 2.

Como dono de vários gatos, já pude comprovar em primeira mão, alguns destes comportamentos! E agora? Estes adoráveis animais, já não parecem tão fofinhos, pois não? 🙂

Traduzido e adaptado daqui.

One thought on “Gatos e os seus comportamentos maléficos

  1. Eu não tenho gatos, mas a ter algum animal de estimação (sem ser as tartarugas, que tenho), seria um gato. Já pensei em cães, mas hoje em dia, gosto mais de gatos.
    Não sabia algumas das explicações em ditas, mas sim, é um animal especial e super inteligente/independente.

    Gostar

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s