Algo sobre o regresso de Fringe, The Walking Dead e American Horror Story

Três das quatro séries que vou acompanhando (a outra é Game of Thrones), regressaram para mais uma temporada e, como nem tenho atualizado frequentemente o estaminé, decidi tecer algumas considerações acerca das mesmas.

FRINGE

Das três séries, Fringe é a que me tem deixado mais expectante, uma vez que esta temporada será a última. A hora das despedidas de personagens que tenho acompanhado há algum tempo está a chegar, e isso é sempre marcante.

Dois dois episódios já lançados, os maiores destaques vão para o clima de guerra que se vive com os observadores e para a nova personagem, a filha de Olivia e Peter.

Têm sido episódios bastante melancólicos e a puxar muito para o sentimento. A equipa (Walter, Olivia, Peter e Astrid), funcionam como um sinal de esperança num futuro bastante trágico e desolador. Especialmente Olivia que parece ter a força necessária para que todos os restantes persistam na procura de um engenho que, segundo Walter, irá acabar com os observadores e restaurar a paz no planeta.

Tenho gostado bastante da interação entre todos. Pelo que me parece, vai ser uma temporada bastante emocionante e muito nostálgica.

THE WALKING DEAD

A segunda temporada de The Walking Dead teve os seus momentos, mas, no cômputo geral, sofreu de um exagero de momentos parados. Mas dela já falei aqui.

A terceira começou no Domingo passado e o regresso não foi espetacular. Manteve o que a caracteriza.

Introduziu uma nova personagem, bastante cool (quem viu o final da segunda temporada sabe de quem falo) e o novo cenário que será o local de refúgio dos nossos sobreviventes. Se na segunda foi uma quinta, aqui será uma prisão.

A prisão, cenário também presente na banda-desenhada, para mim, foi uma escolha genial por parte dos idealizadores. Uma metáfora brutal do que se passa com o mundo apocalíptico de The Walking Dead.

De qualquer forma, penso que a série irá começar a ficar interessante mais para a frente. Para além do novo cenário e da nova personagem, será aqui que também encontrarão um novo grupo de sobreviventes que poderão ser mais perigosos do que o que aparentam. Ah, e devo referir que alguém desaparecido desde a primeira temporada irá regressar!

Eu gostei bastante desta parte na banda desenhada. A ver vamos se a série não irá desiludir. Não espero ação em doses industriais, mas espero, sinceramente, que cortem nos momentos mortos e que a tornem bem mais equilibrada.

AMERICAN HORROR STORY

American Horror Story, foi uma surpresa deliciosa. A primeira temporada, que já falei aqui, foi bastante irreverente, com boas surpresas e momentos muito interessantes.

Se a primeira se passou numa casa misteriosa, a segunda irá ocorrer num Hospital psiquiátrico. Para quem não sabe, cada temporada de American Horror Story será diferente da antecessora, por isso, podem ver esta sem terem visto a primeira, que não perdem nada.

Um Hospital psiquiátrico é sempre um cenário interessante. A inclusão de personagens «esquisitas» tem desculpa e até o cliché da sala em que se fazem experiências obscuras também, de certa forma. Isto tudo estará presente, assim como (pelo que me quer parecer), o grande vilão e personagem misterioso que, desta feita terá o nome de Bloody Face.

Para além disto tudo, parece que vamos ter a intervenção de, aham, seres alienígenas. Sim, leram bem. Seres alienígenas!

Confesso que fiquei um pouco surpreendido com uma cena deste primeiro episódio que remete para os tais seres, mas ok. Afinal de contas, isto é American Horror Story. E até nem parece muito mal, uma vez que a época em que se passa a série é nos anos 60, uma altura em que avistar um OVNI era «quase» normal.

Gostei deste primeiro episódio. Não foi também um regresso impactante, mas parece-me que introduziu bem todas as novas personagens e mistérios daquele local. Kudos para o regresso de atores que estiveram na primeira temporada e que vão marcar presença nesta segunda. E em papéis muito importantes e excitantes, quer-me parecer.

 

Falta Game of Thrones mas, para já, tenho estas três para me ir entretendo. Todas diferentes, se bem que The Walking Dead e American Horror Story partilham temáticas semelhantes, o que ajuda a que vontade em as acompanhar não falte.

A que mais me move, porém, é Fringe. Apesar de não ser uma série perfeita, longe disso até, teve os seus momentos. Arrisco até em dizer, que do panorama atual, Fringe destacou-se claramente, por ter arriscado e inovado na sua história.

Vai ser triste despedir-me de Olivia, Peter, Walter e Astrid, mas fico contente por os ter acompanhado desde o início.

E é tudo por hoje! Boas séries a todos.

Autor: Ricardo JM Vieira

Tenho a mania das artes e acho que o sentido de humor é das melhores coisas inventadas pela humanidade. Eu, pelo menos, gostava de ter.

4 thoughts on “Algo sobre o regresso de Fringe, The Walking Dead e American Horror Story”

  1. Não li com medo de spoilers no que toca a Fringe.
    E, como vi ontem que a RTP-Açores está já a transmitir a 4ª temporada, decidi: não vou esperar mais pela FOX PT… surpreenderam-me pela negativa, por isso, vou arranjar a série em HD pela Internet. A desesperar, porque já era altura de a FOX PT estar a transmitir.

    Gostar

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s