Em 2200 a humanidade já é capaz de viajar através do cosmos com naves que viajam á velocidade da luz. A nave da federação dos planetas unidos, a C-57D, é enviada numa missão de investigação no planeta Altair IV, pois a Terra perdeu o contacto com os colonos enviados para esse planeta.

Quando chega ao seu destino, depois de 1 ano de viajem, a C-57D recebe um aviso para não aterrar no planeta e se afastar. Afinal, existem alguém no planeta. Como não podem recusar as ordens da base, o comandante manda seguir com a missão e aterram no planeta proibido.

TEM 55 ANOS, MAS AINDA CONSEGUE AGRADAR
Apesar de ter estreado em 1956, Forbidden Planet ainda consegue se bastante interessante de se ver. A história, apesar de alguns buracos é boa e mantém quem está a ver interessado no seu desenvolvimento. Mantém-nos curiosos em saber porque raio desapareceram todos os colonos enviados para aquele planeta com exceção do Dr. Morbius e da sua ingénua filha, mas não só.

Temos também informações acerca da civilização altamente avançada que habitou aquele planeta e que deixou um legado riquíssimo para ser estudado. Para além disso, temos mais duas personagens interessantes de se acompanhar que são a jovem Alta e o robô feito pelo Dr. Morbius, Robby.

Alta, que nunca viu nenhum homem, á exceção do seu pai dá azo a situações caricatas e engraçadas e a sua ingenuidade é deveras esquisita para os padrões gerais. Robby é um robô que parece falar através da mudança de k7, pois faz o barulho característico dos antigos decks de k7 quando vai falar. Ah e robô que é robô vem equipado com as famosas leis de Aasimov! Como curiosidade, fiquem a saber que Robby participou em várias séries e em outros filmes depois deste.

BONS MOMENTOS E UM LESLIE NIELSEN SEM CABELO BRANCO
Os efeitos especiais, para a altura, com certeza que foram extraordinários. Hoje, com seria de esperar, são um bocado rudimentares, especialmente aqueles feixes luminosos que saem das pistolas. No entanto a equipa responsável por eles, teve vários momentos de glória. A cena em que aparece o monstro pela primeira vez, por exemplo, está bem conseguida, e deve ter impressionado imenso na altura em que o filme saiu. Esperem também bons cenários e muitas luzinhas a piscar.

Este filme foi pioneiro na inclusão de música eletrónica, mas devo dizer que não sou grande fã dela. Contem, em demasia, aqueles sons psicadélicos característicos dos filmes dessa época.

Do elenco fazem parte um Leslie Nielsen muito jovem e em grande forma, sem aquele cabelo branco que muitos certamente recordarão das últimas comédias que o ator protagonizou. Depois temos Walter Pidgeon, Anne Francis e Warren Stevens.

Forbidden Planet é um clássico do cinema de Ficção-Científica que apesar de ter 55 anos, consegue ser muito agradável e bem interessante de se ver.

.imdb .trailer

8/10

2 thoughts on “Forbidden Planet (1956)

  1. Concordo Ricardo, vi o filme hoje (07/09/2011), aqui no Rio de janeiro via TCM. Algumas frases são muito interessantes também como aquela do “subconsciente” quase no final do filme. 55 anos e inspirador.

    Gostar

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s