A Starz, o mesmo canal que transmitiu Spartacus: Blood and Sand, estreou no passado dia 1 de Abril, Camelot. Camelot, e como o nome sugere, é baseada nas lendas do Rei Artur e nos mitos dos Cavaleiros da Távola Redonda, da espada Excalibur, do feiticeiro Merlin e da feiticeira Morgana, entre outros. Como é fácil de ver, a mitologia em que a série é baseada é riquíssima.

No entanto, e apesar de manter vários factos de acordo com as lendas, Camelot é, na sua essência, uma modernização e uma (mais uma), nova abordagem daquela época.

Para quem se estiver a perguntar se existe magia e feitiçaria aqui, pode (ou não) ficar descansado. Em Camelot, a magia marca presença. Não de uma forma abundante, pelo menos até ao quinto episódio, mas sim, existem momentos de feitiçaria. Aliás, isso faz parte da mitologia do Rei Artur.
Joseph Fiennes e Eva Green, que interpretam respetivamente Morgana e Merlin, são um dos exemplos do melhor Camelot. As suas atuações têm sido muito boas, e este Merlin moderno, jovem e sem a barba típica dos feiticeiros de antigamente, é bem capaz de ser um dos melhores de sempre. Eva Green nao fica nada atrás, e nós só nos podemos regozijar com uma Morgana absolutamente insana e muito sensual.

Por outro lado, e a série tem sido muito criticada por isso, Jamie Bower como Rei Artur não parece ter sido uma escolha muito acertada. A minha primeira impressão foi bastante negativa até. Ter no imaginário o Rei Artur como alguém possante, capaz de inspirar respeito e admiração, talvez tenha contribuído para isso. A verdade é que o jovem ator parece demasiado franzino para o papel.

Apesar de tudo, a minha impressão negativa tem diminuído ao longo dos episódios. Ainda não me sinto satisfeito com este novo Rei Artur, mas também já não me mete tanta confusão. E é preciso ter em conta, que estamos a ver o início da lenda. Aqui, o Artur ainda é muito jovem.
Estou bastante satisfeito com esta série, que tem melhorado á medida que avança. Não contém com uma aproximação ás lendas originais em vários momentos, mas sim com uma nova abordagem. E isso, quanto a mim, tem sido bastante interessante. O ponto mais alto, até agora, dessa abordagem, foi o episódio que conta a lenda da Excalibur.

Ao fim de cinco episódios continuo curioso para saber o que aí vem.

One thought on “A lenda do Rei Artur em Camelot

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s