“… I’m becoming something that never existed before. I’m becoming… Brundlefly.”

A Mosca de David Cronemberg

A Mosca, Aliens e Veio do outro Mundo foram (pelo menos estou quase certo), os 3 filmes que me fizeram tapar a cara com as mãos e pensar em fugir da frente da televisão. Sendo facilmente impressionável com os filmes na minha infância, os resultados dessas visualizações foram, inevitavelmente, pesadelos.

As imagens deste filme, difusas, que tinha cravadas na minha memória eram medonhas. Terrivelmente perturbadoras! Muitos anos depois, eis que decido ver as razões que me levaram a respeitar muito este filme, mesmo sem me lembrar praticamente de 90% da história. The Fly, remake do filme homónimo de 1958, conta a história de um brilhante e excêntrico cientista que está prestes a mudar o mundo como o conhecemos.

Brandle, o cientista, inventa o teletransporte, e no meio do processo conhece Veronica, uma jornalista que se junta a ele. No início a relação entre os 2 é puramente profissional, mas á medida que o tempo vai avançando ambos se apaixonam.

O que tem a ver uma mosca com isto tudo? A mosca será o grande problema do casal, pois irá apropriar-se (literalmente) de um dos indivíduos! Por outras palavras, quando Brandle decide experimentar a sua nova invenção em si, uma mosca entra na máquina e o adn de ambos funde-se.

Começa uma transformação, tanto mental como física (o horror) do Brundle. Brundle vai-se transformando em Brundlefly!

O filme é uma tragédia disfarçada de filme de terror. Um drama humano imenso, polvilhado com momentos bem repulsivos. E é curioso que tenha ficado com a impressão que este seria um filme de terror, quando é muito mais do que isso!

Chega a tocar num tema que muito recentemente esteve em voga, o aborto. É um filme deveras bem escrito e bastante inteligente. As interpretações de Jeff Goldblum e Geena Davis são muito fortes. Especialmente Goldblum que vai sofrendo uma alteração/mutação ao longo do filme e que demonstra toda a paranóia, todo o horror e tristeza que sente dentro de si.

A Mosca é um filmaço! É Muito bem escrito, bem filmado e bem interpretado. Vamos ficando de tal maneira impressionados com a história de Brundlefly e de Veronica que, quando estamos perante a gloriosa e magnífica cena final, potenciada pela belissíma música de Howard Shore, não deixamos de ficar sinceramente impressionados e chocados com tudo a que acabamos de assistir.

imdb trailer

9/10

5 thoughts on “The Fly (1986)

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s