A Nightmare On Elm Street

Remake do filme de culto de Wes Craven, A Nightmare On Elm Street falha redondamente em trazer de volta á ribalta Fred Krueger. Já falei aqui do original e aqui da morte do vilão. Continuo a dizer que os filmes são um pouco sobrevalorizados, mas entendo a sua “aura” de culto e respeito a personagem que Craven deu ao género.

Samuel Bayer, inexperiente realizador, falha no mais importante: tensão. Esta fita utiliza diversas técnicas de susto fácil (como sons repetimos e agudos), e é tão previsível , que o mais provável é começarmos a bocejar perante uma monotonia que se vai instalando.

E algumas cenas são incrivelmente absurdas, como a cena em CGI do Fred Krueger a sair da parede. Essa cena no original foi construída com um outro tipo de qualidade, mais lenta com mais suspense. Neste é tudo rápido, tipo chiclete, mastiga e deita fora.

Mas não é só o realizador que falha, pois o elenco é francamente mal escolhido. As personagens são burras (Nancy, a personagem principal é tão desinteressante que pouco me importava que ela morresse) tão pouco desenvolvidas e carismáticas, que não sentia nada cada vez que o vilão estivesse prestes a desferir um golpe fatal.

Fred Krueger teve em Jackie Earle Haley uma boa incarnação, apesar de não atingir o nível da do Robert Englund.

É pena, pois com os meios actuais á disposição, esperava um remake bastante melhor.

5/10

One thought on “A Nightmare On Elm Street (2010)

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s