Moon (2009)



Daqui a uns anos, a principal fonte de energia (Helium-3) do nosso planeta encontra-se no nosso satélite natural. Sam é o austrounauta que trabalha numa estação lunar, responsável pela extracção e envio do Helium-3 para a Terra, e é um trabalho que tem feito nos últimos 3 anos. Tendo como única companhia um robôt, Sam sente-se isolado e com saudades da sua família. Felizmente o seu contrato está a acabar e a hora do regresso a chegar, só que Sam tem um pequeno acidente e faz uma descoberta perturbante.

Moon é uma estreia auspiciosa de Duncan Jones no cinema. Sim, de facto é. É um filme de ficção-científica relativamente simples, sem os actuais espectáculos de pirotécnia e que vive muito á custa do seu actor. Não digo actores, porque Moon, na verdade, so tem uma interpretação de registo.

Moon é então um one man show. Sam Rockwell agarrou com enorme força o seu(s) Sam e construiu uma personagem que ao começar bem e feliz, se vai tornando cada vez mais confusa e sozinha. Grande actuação do actor!

GERTY o robot que acompanha Sam, tem a voz de Kevin Spacey, e este faz um bom trabalho dando-nos uma voz monocórdica característica de seres mecânicos desprovidos de sentimentos. O pormenor de terem colocado um sorriso (típico nos programas de conversação, como o Pidgin) como imagem identificativa das (supostas) emoções do GERTY, foi bastante inteligente e interessante.

O argumento é bom, com alguma profundidade, mas não tão interessante assim. Aborda vários temas como a solidão de um homem em prol do bem-estar da humanidade, ou o facto de uma máquina ter mais valores que os próprios humanos no futuro e ainda outros mais que não refiro para não estragar eventuais surpresas com o desenrolar da história. Apesar de tudo, tudo se torna um pouco repetitivo, muito por culpa do elenco ser muito reduzido assim como os cenários.  A banda sonora, da autoria do grande Clint Mansell, é agradável e uma mais valia.

Moon não me surpreendeu muito. Tinha boas expectativas, pois a comunidade no geral tinha aclamado a obra, e talvez por isso tenha ficado um pouco desiludido.

7/10

9 thoughts on “Moon (2009)

  1. Eu dava claramente mais…
    A mim surpreendeu-me mas tu já tinhas lido diversas críticas na blogoesfera enquanto eu vi-o na altura da estreia…
    As expectativas podem mudar a visão do filme mas Rockwell é um one man show, definitivamente.

    Abraço
    Cinema as my World

    Gostar

  2. Entendo a sua apreciação geral ao filme pois é resultado do hype gerado em torno do filme (que na minha opinião é merecido esse mesmo hype).

    Este é um filme feito num estilo que já não se encontra com regularidade, e presta homenagem por exemplo a “2001” de Kubrik e evoca novamente a questão lunar como algo mais tangível, credível e próximo da nossa realidade possível, do que outras fantasias sci-fi que vão surgindo, facto que o tornam demasiado pertinente nas imensas questões que levanta.

    Sim, é o twist presente no argumento que o torna brilhante e intrigante, para um filme completamente despovoado no elenco mas que até acaba por nos colocar a pensar em toda a humanidade. Gostei muito e continuo a recomendar.

    http://armpauloferreira.blogspot.com/2010/01/cinedupla-moon-avatar.html

    Gostar

    1. Talvez tenha sido o hype a prejudicar a minha visualização, sim. No entanto, prefiro Moon a muitos filmes de ficção-científica que surgem actualmente.

      Obrigado pelo comentário ArmPauloFerreira.

      Gostar

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s