White Tulip

Viagens no tempo em nome do amor e alguns momentos brilhantes no mais recente episódio de Fringe. Devo dizer que antes da paragem que a série teve, com aqueles stand alones, os meus níveis de satisfação desciam perigosamente. Mas agora tudo mudou! Bons episódios, com muita mitologia e, acima de tudo, com uma continuação coerente da história das personagens principais.

White Tulip foi um grande episódio, apesar dos paradoxos inerentes ás viagens temporais. A conversa entre Walter e Peck foi óptima. Dois cientistas com mútuo respeito, sem quererem impor as suas ideias, apenas defende-las mas, sempre dispostos a ouvir o outro lado e a tentar percebê-lo. Walter explica a sua nova personalidade, o medo que tem de Peter não o perdoar, e a sua crença em Deus.

Walter“So now I’m looking for a sign of forgiveness. ..I’ve asked God for a sign of forgiveness..a specific one, a white tulip”

Peck: Tulips don’t bloom this time of year, white or otherwise”

Walter: But he’s GOD.. And if God can forgive me for my acts then maybe, it’s in the realm of possibility that my son might possibly, may be able to forgive me too.”

Gosto bastante do elemento fé na série. O final foi perfeito, simplesmente perfeito.

Publicado por Ricardo JM Vieira

Vibro mais do que gostaria pelo Benfica, cinéfilo de corpo inteiro, fotógrafo de ocasião, destruidor de koopas e bokoblins, devorador de séries, leitor de fantasia, geek e nerd, não necessariamente ao mesmo tempo. Ah, e apaixonado por animais.

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s