The Imaginarium Of Doctor Parnassus (2009)

No fim deste filme fiquei com várias sensações. A única certeza que tive foi que a criatividade de Giliam é muito grande. Grande na realização, porque o argumento ficou demasiado confuso. A essência da história é simples e bonita, mas era escusado tornar tudo tão “esquizofrénico”.

Muito em suma, o filme conta a história de um homem muito velho, Dr Parnassus, que desde há muito tempo vem fazendo apostas com o Diabo em pessoa. Numa dessas apostas, Parnassus fica com a vida eterna mas, e há sempre um mas, ainda para mais quando se aposta com o Satanás, a vida de um descendente seu pertencerá ao Diabo quando competar 16 anos. Acontece que Valentina, a filha de Parnassus, está prestes a completar essa idade e o Diabo anda á espreita. Obviamente que ele não quer perder a sua filha e o Diabo, tenta aproveitar-se ainda mais da situação, e faz nova aposta! Se Parnassus conseguir cativar 5 almas primeiro que ele, fica com a filha. E como isso se torna possível? Através do espectáculo ambulante que o velho pratica. Quem aceitar participar nesse espectáculo terá a oportunidade de entrar num espelho para um mundo totalmente novo. Fascinante e maravilhoso. Nesse mundo, Parnassus e o Diabo vão fazer as suas tentações e cabe ás pessoas decidirem o seu caminho. No meio disto tudo cai do céu (ou não), um homem misterioso, Tony, que vai mexer como todo o esquema.

O argumento perde-se em muita esquisitisse. Não é que seja mau, porque não o é, mas poderia ser muito mais simples. No entanto, a parte visual é fascinante. Muito bela e imaginativa. E é nisso que este filme mais brilha. Depois temos um óptimo elenco. Heath Ledger tem uma boa interpretação. Não é a sua melhor, pois essa foi, de longe, o Joker de The Dark Knight. Mas é muito carismático no papel de Tony. A belíssima Lily Cole não desaponta e o trio de actores escolhido para colmatar o triste desaparecimento de Ledger consegue tornar o Tony do mundo imaginário muito credível e interessante de se acompanhar. Bem, pelo menos Johnny Depp e Colin Farrel, pois não gostei nada de Jude Law. Mas enfim, se calhar é mais um embirramento pessoal, pois não sou grande fã do actor. Os restantes actores foram, também, muito bem escolhidos e as sua interpretações são boas.

É um filme desiquilibrado e demasiado confuso, (sem necessidade) por vezes. Mas vale a visualização, não só apenas pela curiosidade em se ver a última performance de Ledger no grande ecrã, mas também pelo fantástico e incrivelmente imaginativo visual que Terry Gilliam nos dá.

7/10

Autor: Ricardo JM Vieira

Tenho a mania das artes e acho que o sentido de humor é das melhores coisas inventadas pela humanidade. Eu, pelo menos, gostava de ter.

3 thoughts on “The Imaginarium Of Doctor Parnassus (2009)”

  1. Belissímo em sua viagem através do espellho.
    Encantador fora dele.
    Heath Ledger faz uma ótima apresentação, melhor que a de todos os outros que a fizeram posteriormente a sua morte.
    Lily Cole é uma graça, linda, ruiva, parece realmente uma menina de 16 anos.
    O final é que depois de assisti-lo você fica meio tonto, imaginando um mundo de sonhos e fantasias.

    Gostar

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s