Carrie (1976)

Realizador: Brian De Palma / 1976 (trailer)

Carrie White é uma jovem constantemente gozada pelas suas colegas de escola. O facto de ter uma mãe religiosamente fanática, em que tudo o que acontece é pecado, faz com que Carrie não tenha auto-estima e que vá fazendo a sua vida escolar isolada, sem amigos. Apesar de tudo, a professora de ginástica, a Sra. Collins, vai tentando elevar a auto-estima de Carrie e uma das estudantes, arrependida, decide ajudar Carrie a ter uma momento de felicidade. Portanto, pede a um amigo que convide a jovem atormentada para ir ao baile de finalistas. Carrie enfrenta os seus demónios interiores e a sua mãe  – que lhe começa a chamar bruxa, pois Carrie descobre que tem poderes sobrenaturais, nomeadamente a telequinese – ,e decide ir ao baile. Um baile que nunca esquecerá.

Carrie é um filme de terror baseado no livro homónimo de Stephen King e, a par de The Shining e de The Shawshank Redemption, uma das melhores adaptações ao cinema. Não atinge o brilhantismo dos 2 que referi, mas é um produto superior, que vale muito pela interpretação de Sissy Spacek e Piper Laurie e pelo grandioso final!

Foi curioso ver um John Travolta tão novo subitamente surgir no ecrã do meu LCD. Investiguei e fiquei a saber que este foi o 2º filme que o actor fez, sendo que esta fita foi a principal impulsionadora da sua carreira. E digo principal impulsionadora, uma vez que Carrie foi um grande sucesso comercial de Brian de palma.

O final, como já, disse é grandioso. Desde o massacre até ao toque no hospital (tirando a parte em que o carro é desviado por Carrie, pois não gosto de partes em fast-forward), que temos Sissy Spacek fantásticamente maléfica. Aquele olhar arregalado é deveras impressionante, como podem comprovar um bocadinho através da imagem supra. Mas não é só aí que a actriz brilha, pois o filme é quase todo seu.

Um último destaque para a banda-sonora da autoria de Pino Donaggio, que gostei bastante.

Carrie é mais um clássico que não me desapontou. Um filme que demora um pouco a arrancar e é algo lento no seu desenvolvimento, culmina num dos actos finais mais assombrosos do cinema!

PS: Quem tiver curiosidade não veja o trailer, pois mostra todo o filme.

7/10

Autor: Ricardo JM Vieira

Tenho a mania das artes e acho que o sentido de humor é das melhores coisas inventadas pela humanidade. Eu, pelo menos, gostava de ter.

3 thoughts on “Carrie (1976)”

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s