28 Days Later (2002)

Jim acorda numa cama de hospital. Rápido se apercebe que algo não está bem. Onde estão as pessoas? O que Jim não sabe, é que 28 dias antes, um poderoso vírus havia sido libertado em Inglaterra. Um vírus que torna os humanos raivosos e sedentos de sangue em menos de 20 segundos.

Danny Boyle apresenta aqui uma fita bastante interessante, muito devido á sua realização. Realização, essa, que é bastante dinâmica e fresca e arrojada. Não é que o filme seja algo de inovador, porque não o é. Trata-se de mais um filme de sobrevivência num cenário pós-apocalíptico. Só que tem um toque pessoal de Danny Boyle. E é um toque que, de certa forma, torna os acontecimentos bem mais interessantes.

A abertura inicial, mostrando as ruas de Londres vazia é bastante forte e dá o mote certo para o resto do filme. No entanto, mais para a frente, a história vai perdendo um bocadinho de força. Recupera essa força, a partir do momento em que chegamos ao refúgio militar. Fantástica toda a cena em que Jim volta ao refúgio para ajudar as mulheres.

O elenco é competente e conta com interpretações de Brendan Gleeson, Cilian Murphy, Naomi Harris e Megan Burns nos principais papéis. A banda sonora boa, com melodias alternativas, se bem que algumas vezes não as achei enquadradas com o que se estava a passar no ecrã.

Danny Boyle cria um filme forte no género. Para além do aspecto sobrevivência, inclui algumas questões deveras pertinentes (“people killing people”) e diálogos bem estruturados. E ainda filma tudo com grande estilo.

Realizador: Danny Boyle/2002

De Positivo: A realização. Cilian Murphy. A banda sonora.

De Negativo: Banda sonora mal utilizada algumas vezes. Um ou outro momento menos esgalhado. Sensação de “mais do mesmo”.

Jim: No, no. No, see, this is a really shit idea. You know why? Because it’s really obviously a shit idea.

7/10

Respostas de 6 a “28 Days Later (2002)”

  1. Vi o filme hoje. Aprecio bastante histórias acerca de zombies e filmes apocalípticos. Desde o primeiro segundo do filme que percebi que ia ficar presa à história! As ruas de Londres desertas, o contraste entre a limpeza da cidade vazia e a sujidade dentro da igreja (o caos da cidade desaparece e, onde deveria haver paz – a igreja – a entropia e a podridão). Gosto especialmente da cena dos peixes no aquário quase seco, com a água estagnada. Excelente metáfora! Também achei brilhante a cena das vasilhas no topo do edifício, secas. Como se Deus se recusasse mesmo a salvar os londrinos. Face a toda a adversidade persiste a vontade de sobreviver.
    Admito, algo constrangida, que gosto do happy end. No entanto também teria ficado satisfeita se apenas tivesse visto o 2º final, mais realista.
    Gostei muito do filme. Não prestei grande atenção à banda sonora…

    Gostar

  2. […] Weeks Later é a sequela de 28 Days Later, um bom filme de terror com o cunho de Danny Boyle. Nesta fita, já não temos Danny Boyle, nem […]

    Gostar

  3. Eu tenho a dizer que gosto muito de filmes de sorevivência e não tanto, aliás descarto um pouco, filmes de zombies. NO ENTANTO, para mim este filme está no top pelo seu todo. Espectacular, tal como disseste, aquelas ruas vazias, a felicidade da procura de um local melhor, durante a viagem e no final, espectacular os ambientes “de pouco oxigénio”. Em suma gostei bastante deste filme.

    Já o seguinte ficou um pouco aquém, mas como sou grande apreciador de sobrevivências, gostei também!

    Abraço,
    Cláudio Novais

    Gostar

    1. Não vi o seguinte e confesso que não tenho grande vontade.

      Gostar

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s