500 Days of Summer (2009)

Esta é uma história de um rapaz que conhece uma rapariga.

O rapaz, Tom Hansen, de New Jersey, cresceu a acreditar que nunca seria verdadeiramente feliz. A rapariga, Summer Finn, de Michigan, é feliz, mas não acredita no amor. Tom conheçeu Summer a 8 de Janeiro. Soube, quase imediatamente, que era ela quem ele procurava.

É uma história de um rapaz que conheçe uma rapariga, mas fiquem já a saber que não é uma história de amor.

Como é possível, sequer, ter a menor dúvida em colocar esta fita no cinema? Meus caros distribuidores, abram a pestana! Existem filmes para tudo: para dar lucro, para darem prejuízo,etc; mas também existem filmes que são para serem, vistos por serem os melhores. E este 500 Days of Summer é um dos melhores!

Que me lembre, assim de repente, não há nenhum filmes nestes últimos anos, que tenha sido tão verdadeiro com o público. Aliás, tenho a certeza que quase, quase, toda a gente se vai rever na história. E por isso pode ser tocante, pode trazer á memória memórias passadas, pode encher-nos de sorrisos, de lágrimas.

É uma celebração á vida, porque no fim tudo se resume a como duas vidas mudaram após se terem cruzado. Zooey Deschanel – a profundeza mágica do azul dos seus olhos cativa qualquer um – e Joseph Levitt, fazem um par com uma química extraordinária. As suas interpretações são muito boas.

A narrativa, contada em saltos temporais, é genuína, arrojada e irreverente, como se pode ver logo nos créditos iniciais, ou na excelente cena em que vemos a “realidade” e as “expectativas” de Tom ao mesmo tempo.

A banda sonora, essa, também é espectacular. Infelizmente, o filme passará despercebido á maioria das pessoas e, infelizmente, existirão muitas mais – como eu – que ficarão cansadas da hipotética hipótese de o ver nos cinemas.

Sem querer prolongar esta opinião, concluo dizendo que 500 Days of Summer é um dos melhores filmes dos últimos anos. É cativante, é mágico e acima de tudo é verdadeiro.

9/10

Autor: Ricardo JM Vieira

Tenho a mania das artes e acho que o sentido de humor é das melhores coisas inventadas pela humanidade. Eu, pelo menos, gostava de ter.

8 thoughts on “500 Days of Summer (2009)”

  1. É um dos filmes mais simpáticos, genuínos, verdadeiros e comoventes do ano. A química do par protagonista é fantástica e inegável, enquanto a banda sonora é genialmente bem escolhida e reflecte bastante bem os meus gostos musicais…

    Gostar

  2. Já agora, aproveito e digo o seguinte que preferencialmente não deve ser aceite este comentário:

    Vê o Paranormal Activity. Acabei de o ver e simplesmente adorei, no sentido de finalmente algum filme ter alterado o meu estado de medo. Sim, este filme meteu-me medo e por isso recomendo.

    Apesar de tudo, o final, fica um pouco aquém das espectativas. Ouvi dizer que ha um final alternativo, feito pelo spielberg, mas desconheço…

    Abraço.

    Gostar

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s