Interview with the Vampire: The Vampire Chronicles (1994)

Interview With The Vampire 

Drink From Me And Live Forever

É noite em São Francisco. Após 200 anos de uma vida sem fim, Louis de Ponte de Lac (Brad Pitt) decide contar sua história a um jovem repórter (Christian Slate). Uma história de desejo, terror e êxtase…

O conto sombrio de um homem atormentado pela morte da família, que encontra na figura misteriosa do vampiro Lestad (Tom Cruise), a chance de experimentar o poder da eternidade. Lastat…Imortal… Senhor da noite… O mais atraente e perigoso de todos os vampiros…Capaz de saborear os prazeres da noite em busca de novas vítimas para sustentar sua existência. Atormentado por sua vida sem significado, Louis parte pelo mundo, á procura de vampiros como ele, e não como Lestat. Encontrar apenas violência e destruição, ao lado da pequena Cláudia (Kirsten Dunst) e do enigmático Armand (Antonio Banderas).

A minha primeira observação vai directamente para o elenco deste filme. O trio Tom Cruise, Brad Pitt e Antonio Banderas não foram a escolha mais acertada. Eles fizeram um bom trabalho, tenho que concordar, mas penso que deveriam ser escolhidos outros actores. Olhar-se-ia para a película de outra forma. Eles dão um ar muito top-model e americanizado ao filme. A cenografia é espantosa. A caracterização dos vampiros, a direcção artística e a banda sonora são muito boas. Gostei especialmente da banda sonora, assim como adorei certos momentos que o filme nos proporciona. Por vezes somos brindados com momentos visualmente espantosos, com alegorias subtis (adoro especialmente a imagem de Brad Pitt segurando na gadanha no momento que se prepara para ceifar as “vidas” dos demais vampiros. É a imagem perfeita da morte!).

Entrevista com o Vampiro não é daqueles filmes de terror em que andam todos atrás do Drácula, ou que abundam estacas de madeira, crucifixo e até alho. É uma visão muito diferente e pessoal de um vampiro em que nos mostra o quanto se sente vazio, apesar de ser imortal. Rompe com as crenças tradicionais que todos os vampiros são seres demoníacos e terríficos, sedentos de sangue. Uma referência á pequena Kirsten Dunst que faz um belíssima interpretação. Não é fácil começar como uma pequena criança, e terminar com sentimentos e atitudes de mulher mais madura. Pois apesar de o corpo não envelhecer, vai-se notando o amuderecimento da personalidade.

Entrevista com o Vampiro é um bom filme que poderia ser óptimo! Discordo em parte com o elenco apesar, e repito, de concordar que as interpretações foram no geral boas. É bastante intelectual, filosófico por vezes. A sua duração longa com a maior fatia dos minutos serem “parados”, pode afastar muitas pessoas, mas dêem uma oportunidade ao filme. Vão ver que no meio de tanto arranjo teatral vão encontrar um dos melhores filmes de vampiros já feito.

Entrevista com o Vampiro de Neil Jordan

8/10

Autor: Ricardo JM Vieira

Tenho a mania das artes e acho que o sentido de humor é das melhores coisas inventadas pela humanidade. Eu, pelo menos, gostava de ter.

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s