Bug (2006)

Bug

First they send in their drone… then they find their queen

Agnes (Ashley Judd) é uma empregada de mesa solitária.O seu violento ex-marido (Harry Connick Jr.) acabou de sair da prisão em liberdade condicional e a sua melhor amiga acolheu recentemente um misterioso veterano da Guerra da Golfo chamado Peter (Michael Shannon).

Fragilizada, Agnes apaixona-se por Peter e cedo Peter começa a partilhar o sombrio quarto de motel de Agnes. Tudo parece correr bem… até que Peter começa a falar de forma obsessiva nos “insectos” que o governo injecta nos corpos dos ex-combatentes. Estará Peter a contar a verdade? Será apenas paranóia?

O veterano William Friedkin (O Exorcista; Os Incorruptíveis Contra a Droga) assina com BUG um thriller psicológico intenso sobre as fronteiras da alienação, com a actriz nomeada duas vezes para Globos de Outro Ashley Judd no principal papel.
William Friedkin autor de dois clássicos do cinema dos anos 70, O Exorcista e Incorruptíveis Contra A Droga, assina um filme ousado, corajoso de díficil “digestão” e que certamente será apreciado por um pequeno lote de espectadores. Bug prima pela força dos dois protagonistas que fazem um trabalho notável levando ao limite a noção entre paranóia e realidade.

Adaptado da peça de teatro homónima, por vezes temos a noção que as interpretações e os planos de camera são muito teatrais sem que isso não prejudique a obra. O filme é claramente de autor, não tem nada de comercial e acredito que sendo hoje um filme de culto muito respeitado por alguns e odiado por muitos mais, certamente que daqui a uns anos poderá virar um clássico do cinema.

Apesar de ser difícil este Bug é o melhor filme de William Friedkin dos últimos anos. Se querem entrar num thriller psicológico perturbante, num mundo no limiar da realidade e paranóia, na história de duas pessoas que se apaixonam e se entregam a esse amor, então Bug é um desses filmes

Bug de Wiliam Friedkin

7/10

Autor: Ricardo JM Vieira

Tenho a mania das artes e acho que o sentido de humor é das melhores coisas inventadas pela humanidade. Eu, pelo menos, gostava de ter.

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s